Alimentação na diabetes tipo 2

14 de novembro é o Dia Mundial da Diabetes! Este dia serve para alertar a população em geral, os profissionais de saúde, a comunicação social e os organismos oficiais para a problemática desta doença que, em Portugal, tem uma prevalência alarmante.

A diabetes tipo 2 é uma doença grave e crónica que pode ser provocada pela perda progressiva de função das células beta do pâncreas ou pela resistência à insulina (incapacidade do organismo em utilizar a insulina produzida). A diabetes é uma doença do estilo de vida moderno cujo sucesso do tratamento depende do equilíbrio entre alimentação, atividade física e medicação.

A alimentação da pessoa com diabetes deve ser tão equilibrada, variada e completa como a alimentação de qualquer indivíduo saudável. O excesso de peso e a obesidade estão intimamente ligados ao aparecimento da Diabetes tipo 2 e, por isso, a alimentação tem uma importância fulcral quer na prevenção, quer no tratamento desta doença. Manter uma alimentação saudável e adaptada ao estilo de vida de cada individuo, permite:

  • Manter o peso dentro dos limites adequados;
  • Equilibrar a glicemia (açúcar no sangue);
  • Controlar as comorbilidades (pressão arterial, níveis de colesterol);
  • Reduzir o risco de complicações associadas à doença (por ex.: cegueira, perturbações cognitivas, doença  cardíaca e enfarte, …).

Na diabetes a alimentação adequada desempenha um papel fundamental porque serve para evitar ou reduzir as flutuações extremas de glicemia, atingir um perfil lipídico que reduza o risco de doença cardiovascular, contribuir para níveis de pressão arterial normais e ajudar a reduzir a evolução de certas complicações microvasculares, nomeadamente as renais.

Orientação nutricional para uma alimentação saudável na diabetes (e na população em geral):

  1. Tome sempre o pequeno almoço: 1 laticínio magro, cereais integrais e 1 fruta pequena;
  2. Faça refeições ligeiras preferencialmente de 3 em 3 horas. Para manter um bom controlo da glicemia deve evitar estar mais de 3 horas e meia sem comer!
  3. Nunca salte refeições. Faça 5 a 7 pequenas refeições diárias. Não se esqueça dos lanches entre as refeições principais e, cas seja necessário, faça uma pequena ceia antes de se deitar;
  4. Comece sempre as refeições principais com sopa!
  5. Consuma legumes e hortaliças de forma generosa. Metade do seu prato deve ser ocupado legumespor estes alimentos.
  6. “Para terminar a refeição, a fruta é a melhor sobremesa!”. Coma fruta no final da refeição ou, se a consumir num dos lanches, acompanhe-a sempre com um pequeno pedaço de pão. Dê preferência à fruta pouco madura e aposte em maçãs, peras, morangos, melancia, pêssegos, quivis e ameixas. Evite figos, cerejas, uvas, dióspiros e bananas;
  7. Faça uma alimentação tendencialmente vegetariana. Reduza drasticamente o consumo de produtos animais;
  8. Para cozinhar e temperar dê preferência ao azeite. Invista em gorduras de boa qualidade e modere a sua utilização. Evite consumir óleos, gorduras e alimentos gordos como margarina, banha, manteiga, produtos de charcutaria e salsicharia, natas, maionese, caldos concentrados, toucinho, entremeadas, massas folhadas, entre outros;
  9. Cozinhe de forma simples e tempere com ervas aromáticas (aipo, alecrim, alho, cebolinho, coentro, estragão, hortelã) e especiarias (açafrão, canela, caril, colorau, noz-moscada, tomilho, … );
  10. Dê preferência aos cozidos, grelhados, assados com pouca gordura, estufados em cru e caldeiradas;
  11. Reduza a adição de sal aos cozinhados e o consumo de produtos salgados como salsicharia, enlatados, queijos curados, batatas fritas e similares, frutos secos fritos, etc;
  12. Não consuma bebidas alcoólicas. Se o fizer, limite o seu consumo a: 1) homens – 2 copos de vinho/dia; 2) mulheres – 1 copo de vinho/dia).
  13. Modere o consumo de café e chás com teína.
  14. Reduza o consumo de alimentos ricos em açúcar como refrigerantes, bolos, cremes, bolachas, gelados, chocolates, mel, compotas e similares. Quando lhe apetecer um doce, faça-o preferencialmente no final de uma das refeições principais e lembre-se que a ingestão de doces deve ser reservada para ocasiões especiais.
  15. Ajude os rins e os intestinos a funcionar: beba água ou infusões de ervas com regularidade ao longo do dia!

Por: Sofia A. Rodrigues, nutricionista

Deixar uma resposta