Quer aprender a comer melhor?

 Nos últimos anos, a alimentação e, consequentemente, a nutrição tem ganho um papel central na vida das populações e são cada vez mais as pessoas preocupadas em fazer uma alimentação mais correta como parte de um estilo de vida saudável. A alimentação é um pau de dois bicos: pode ser usada como aliada para a promoção da saúde e bem-estar ou, por outro lado, como veículo de doença e mal-estar. Na base de uma má alimentação estão as denominadas doenças do estilo de vida que englobam o cancro, a diabetes mellitus tipo 2 e outras perturbações do metabolismo, a hipertenção, as doenças cardiovasculares, doenças hormonais, alguns tipos de enxaquecas, osteoporose, apneia do sono, stress, ansiedade, depressão, gota, obesidade e excesso de peso, entre muitas outras. Muitas destas doenças, algumas delas graves e crónicas, são preveníveis através da alimentação!

Neste sentido, investir na qualidade da alimentação é o primeiro passo para melhorar os níveis de saúde presente e futura. Para isso, basta começar por praticar as seguintes sugestões:

  • Faça, pelo menos, cinco refeições por dia;
  • Evite intervalos superiores a 3 horas entre cada refeição;
  • Comece bem o seu dia: tome sempre um bom pequeno-almoço;
  • Coma devagar e mastigue bem os alimentos: pouse os talheres e, sempre que puder, faça da hora da refeição um momento de convívio;
  • Faça, pelo menos, uma das refeições diárias em família;
  • Faça uma alimentação tendencialmente vegetariana, reduzindo o consumo de alimentos de origem animal;
  • Ao almoço e ao jantar comece a refeição com sopa;
  • Quantidade não significa qualidade: não coma em excesso;
  • Se tiver filhos, dê o exemplo. Não exija o que não fizer: se não comer sopa ou vegetais, será difícil convencer os mais pequenos porque o devem fazer;
  • Reduza ou elimine o consumo de produtos processados: pastelaria industrial, charcutaria, refeições pré-cozinhadas, entre outros;
  • Sempre que puder compre frutos e vegetais da época e de produção local;
  • Consuma moderadamente frutos secos simples ou torrados, sem sal e sem açúcar;
  • Descubra novos alimentos e sabores: cozinhe com alternativas proteicas tipo tempeh, tofu ou seitan, algas, fermentados, sementes, etc…
  • Cuidado com as gorduras. Prefira o azeite e as que estão presentes nos peixes gordos, sementes e frutos secos;
  • Se consumir laticínios, opte pelos magros;
  • Nutrição não é moda, é ciência! Não elimine grupos de alimentos da sua alimentação (ex.: hidratos de carbono);
  • Faça escolhas informadas: dietas sem glúten, dietas detox, zero lactose, exceto em casos específicos, não promovem a sua saúde, promovem negócios;
  • Se consumir bebidas vegetais (aveia, arroz, espelta, coco, etc…), escolha as que não têm açúcar adicionado;
  • Consuma leguminosas 3 a 5 vezes por semana;
  • Reduza o consumo de molhos gordos tipo maionese e natas;
  • Reduza o consumo de molhos com açúcar tipo ketchup;
  • Reduza a quantidade de sal que adiciona à comida;
  • Tempere com ervas aromáticas;
  • Se consumir carne, opte pelas carnes brancas como o frango, o coelho ou o peru, retirando a pele e gorduras visíveis;
  • Se consumir peixe, dê preferência aos gordos tipo sardinha, salmão selvagem ou cavala;
  • Cozinhe de forma simples e saudável, evitando refogados e fritos.
  • Consuma cereais integrais regularmente;
  • Beba água, chás ou infusões de ervas;
  • Reduza ou elimine o consumo de açúcares simples;
  • Não beba refrigerantes e outras bebidas açucaradas.

No meio de tantas recomendações, não se esqueça de praticar exercício físico e usufruir de tudo o que a alimentação tem para lhe dar. De vez em quando, desfrute do melhor gelado do mundo e da pizza mais deliciosa. Sem receios, sem culpa e com muita energia e saúde!

Por: Sofia A. Rodrigues, nutricionista


Créditos fotografias: www.hellawella.com

2 thoughts on “Quer aprender a comer melhor?

  1. Nina says:

    Ótimas dicas 🙂 Para ficarmos saudáveis é preciso ter uma dieta equilibrada, beber muita água, fazer exercício físico e tomar complementos como Piperine forte, que travam o apetite, reforçam o sistema imunitário e restabelecem as forças físicas e mentais, bem como a memória e são indispensávieis no nosso diaa dia 😉

Deixar uma resposta