Consulta de nutrição: será importante ou talvez não…

nutriente-consultaÉ através da alimentação que se constroem os alicerces da saúde!

Uma dieta personalizada e adaptada corretamente à sua fase de vida potencia o bem-estar físico e psíquico e reduz o risco de desenvolvimento de diversas doenças. Além disso, permite uma gestão inteligente do peso ao longo de toda a vida. Existem muitos motivos que o/a podem levar até uma  consulta de nutrição, nomeadamente:

Continue reading

Trigo-Sarraceno com nozes

O trigo-sarraceno ou trigo-mourisco, devido ao seu nome e aspeto parece ser um cereal semelhante ao arroz ou triguilho mas, na realidade, é uma semente de um fruto que nasce em algumas plantas da família das Polygonaceae (planta similar às azedas das regiões do mediterrâneo). No Japão é conhecido como a célebre soba, sendo também muito comum na gastronomia polaca, israelita e russa onde é habitualmente consumido misturado com cogumelos.

Este grão é muito rico em magnésio, manganês, ferro, fibras dietéticas, aminoácidos e flavonóides, como a rutina e a quercetina. É ainda isento de glúten o que o torna uma excelente opção para os portadores de doença celíaca ou intolerância ao glúten. Experimente usá-lo como alternativa ao arroz ou massa que tradicionalmente integra a culinária portuguesa.

 

Trigo-Sarraceno com nozes

Ingredientes:Trigo-Sarreceno com nozes

  • 150 g de trigo-sarraceno
  • 300 ml de água
  • 300 g de vegetais da época lavados e cortados em pequenos pedaços (ex: pimento encarnado, alho francês, flores de brócolos e couve-flor, feijão verde)
  • 50 g de nozes partidas grosseiramente
  • 3 colheres de sopa de azeite
  • salsa fresca picada

Preparação:

  1. Coza o trigo-sarraceno e reserve (trigo-sarraceno + água + sal. Cozer a 12 a 15  minutos e escorrer);
  2. Numa frigideira com 3 colheres de sopa de azeite, salteie os vegetais à sua escolha (10 minutos);
  3. Misture as nozes e o trigo-sarraceno, retifique os temperos e adicione a salsa. Mexa bem;
  4. Sirva como acompanhamento ou só com salada.

por: Sofia A. Rodrigues, nutricionista

Massa com vegetais crocantes e pesto de amêndoa

massa com vegetais e pesto amêndoa nutriente secreto

As massas alimentícias são ricas em hidratos de carbono, fibras alimentares, vitaminas do complexo B e minerais como o potássio, fósforo e o magnésio. Os hidratos de carbono presentes nas massas (ex.: amido) fornecem energia às células que serve de motor para o funcionamento de todos os sistemas orgânicos. O consumo de massa, nas doses adequadas, contribui para a estabilidade do nível de açúcar no sangue (glicemia) o que diminui o apetite e favorece o bom humor e o bem estar ao longo do dia.

Atualmente, existem mais de 600 formatos diferentes de massas secas, o que permite ao consumidor escolher a que melhor se adapta ao seu gosto pessoal.  Sempre que possível, opte por consumir massas integrais: são nutricionalmente mais ricas, favorecem o trânsito intestinal, atuam na prevenção do cancro do cólon, aumentam a saciedade e ajudam a reduzir o LDL-colesterol.

Massa com vegetais crocantes e pesto de amêndoa

Ingredientes (4 a 6 pax):

  • 350 g de massa integral (tipo macarrão)
  • 1 curgete laminada
  • 150 g de ervilhas congeladas
  • 200 g de brócolos partidos em pequenos ramos
  • 150 g de amêndoas (torradas/sem pele)
  • azeite q.b.
  • 2 dentes de alho
  • 1 ramo grande de manjericão fresco

Preparação: Coza a massa de acordo com as instruções do fabricante. Antes de escorrer a massa, retire 150 ml da água da cozedura e reserve. Depois de escorrer a massa, passe-a por água fria e reserve. Numa frigideira ou wok, coloque 2 colheres de sopa de azeite e deixe aquecer bem. Salteie os vegetais  previamente lavados e cortados (brócolos, ervilhas e curgete) durante 10 minutos, mexendo sempre para não queimarem. Tempere com sal marinho, retire do lume e acrescente a massa previamente cozida aos vegetais salteados.

Pesto de Amêndoas: com a ajuda de um robot de cozinha ou varinha mágica, junte as amêndoas, os alhos, as folhas de manjericão e uma colher de café de sal marinho. Triture durante 2 minutos. Adicione o 100 ml de azeite e volte a triturar mais 2 minutos. Acrescente a água da cozedura da massa e mexa bem. Sirva a massa com o pesto.

Por: Sofia A. Rodrigues, nutricionista

 

Dieta vegetariana, sim ou não?

7 motivos para mudar já! 

fritata-vegetaisUm padrão alimentar saudável é aquele que promove a saúde global: previne doenças e potencia o bem estar geral nos níveis físico, psíquico e intelectual em crianças, adolescentes e adultos. Neste sentido, tem de ser completo, variado e equilibrado. A alimentação, vegetariana ou não, deve ser ajustada individualmente porque, como é sabido, as necessidades energéticas diferem e dependem de fatores como a estação do ano, a região do planeta/país, a idade, o metabolismo, a individualidade bioquímica, o sexo, o peso, a altura, a condição física, a atividade diária, o estado de saúde/doença, etc…

De acordo com a Organização Mundial de Saúde e outras instituições de caracter científico responsáveis pelas grandes linhas de orientação no campo da nutrição coletiva, a distribuição dos macronutrientes, relativamente às necessidades energéticas totais/diárias, deve ser feita do seguinte modo: a) hidratos de carbono: 50 a 70%; b) proteína: 12 a 20%; e c) lípidos: 25 a 35%. Continue reading

6 sugestões vegetarianas

No seguimento da publicação anterior, deixo-vos algumas receitas que podem servir de inspiração para refeições sem carne nem peixe.

PUDIM DE LEGUMES E QUEIJO

Ingredientes (4 doses)

  • 1 ½ copo de leite de vaca ou bebida de soja/aveia/arroz
  • 1 colher (sopa) de farinha de trigo (integral);
  • 1 colher (sopa) de margarina;
  • 2 cenouras cozidas e picadas;
  • 1 pimento vermelho aos pedaços;
  • 2 brócolos cortados em pedaços pequenos;
  • 1 cebola picada;
  • 150 g de queijo mozzarella;
  • 1 colher (sopa) de queijo parmesão ralado;
  • 3 ovos.

Continue reading

Sem carne nem peixe

Em ambiente de consulta, algumas pessoas manifestam o desejo de diminuir o consumo de carne e peixe mas não sabem muito bem como colocar essa vontade em prática.  Por isso, decidi escrever sobre o tema e deixo aqui a 1ª parte de um artigo que é apenas um pequeno resumo do que podemos fazer no dia-a-dia. Lembre-se que, se pretende adotar um padrão alimentar alternativo,  é importante que seja acompanhado por um profissional de saúde da área para poder ter orientação nutricional e não colocar a saúde em risco devido ao potencial aparecimento de défices nutricionais. Durante a próxima semana, publicarei algumas receitas “sem carne, nem peixe”.

Continue reading